Blog

27.Março.2015

A segurança alimentar é uma responsabilidade partilhada. É importante trabalhar ao longo de toda a cadeia de produção de alimentos, de agricultores e fabricantes para varejistas e consumidores. A publicação da OMS Cinco Chaves para uma Alimentação mais Segura oferece  aos vendedores e consumidores orientação prática sobre como manusear e preparar a comida:

 

Chave 1:Mantenha-o limpo;

Chave 2:Alimentos crus e cozinhados separados;

Chave 3:Cozinhe bem os alimentos;

Chave 4:Mantenha os alimentos a temperaturas seguras;

Chave 5:Use água potável.

 

            O Dia Mundial da Saúde 2015 é uma oportunidade para alertar aqueles que trabalham em diferentes setores do governo, os agricultores, fabricantes, varejistas, profissionais de saúde e consumidores sobre a importância da segurança alimentar, e aumentar a conscientização sobre o papel que cada um pode desempenhar.

 

#safefood 

28.Março.2016

Conscientizar a população para a importância da saúde e boa alimentação, esse ó objetivo do Dia da Saúde e da Nutrição, comemorado em 31 de março. A boa alimentação na tem somente a função de satisfazer a fome, dizem especialistas da área, mas, principalmente, manter a saúde geral e mental da pessoa, assim como a manutenção da própria vida. Uma alimentação saudável tem que incluir o consumo de nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo humano, e isso leva a um aumento da qualidade de vida.

No Brasil segundo a Diretriz da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte, tem sido observado no Brasil um uso abusivo de suplementos alimentares e drogas, sem qualquer prescrição médica ou orientação nutricional de profissionais qualificados.

 

Dicas

·         Para uma melhor nutrição, consuma menos alimentos processados e passe a consumir mais alimentos naturais e frescos.

·         A atividade física regular também é benéfica para a saúde e tem efeitos na resposta do corpo à absorção dos nutrientes.

·          A alimentação adequada deve preservar a composição corporal, favorecer o funcionamento das vias metabólicas associadas à atividade física, permitir o armazenamento de energia (glicogênio muscular) retardando a fadiga pelo aumento da resistência ao exercício, contribuir para o incremento da massa muscular (hipertrofia).

·         Em geral, não há necessidade de se fazer suplementação de qualquer nutriente quando se tem como hábito uma dieta balanceada, acompanhada por adequada ingestão de líquidos.

 

Até a próxima !

 

Referência Bibliográfica:

Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício – volume 9  Número 4 – outubro/dezembro 2010 – Uso de dietas restritivas e suplementos nutricionais em academias